NEV, vendas na China podem cair 40%

- May 12, 2019-

As vendas de novos veículos de energia podem cair até 40% no ano que vem . Este é o cenário hipotetizado por Chen Hong - chefe da SAIC Motor - se o governo revogar os subsídios aos compradores e não introduzir políticas substitutas.

As administrações competentes devem organizar um estudo focado nas políticas fiscais para apoiar as vendas do NEV após 2020, como afirma Chen Hong.

A diminuição nos custos de bateria não será suficiente para manter o mercado vivo

Os cenários prevêem que o custo das baterias de energia e da produção de carros elétricos irá diminuir gradualmente com o contínuo desenvolvimento tecnológico, mas isso não será suficiente para compensar o impacto da remoção de subsídios até 2020.

Ainda assim, de acordo com a SAIC, não será suficiente . De acordo com os cálculos da empresa, os veículos elétricos puros custariam entre 30.000 CNY (4.470 USD) e CNY 40.000 a mais do que um carro com motor a combustão , no caso de não serem introduzidas novas políticas.

Em 2017, a China vendeu mais de 1,2 milhões de NEVs

Em 2011, o governo central chinês começou a oferecer subsídios aos consumidores para estimular as vendas do NEV. Após cinco anos e cerca de 500 mil unidades vendidas, a chinesa se tornou o maior mercado de carros elétricos do mundo .

No ano passado, confirmando a liderança, o país produziu e vendeu mais de 1,2 milhão de NEVs, o equivalente a cerca de 5% do setor automotivo chinês, que também é o maior do mundo. O Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação , o órgão supervisor industrial chinês, quer que este número chegue a 40% até 2030 , mas o país começou a reduzir os incentivos do NEV em 2016 e planeja eliminá-los totalmente no final de 2020.