Cidade compacta vital para o desenvolvimento sustentável

- May 11, 2019-

Na foto acima estão as ruas de tráfego intenso de Pequim. As densidades costumam ser mais altas nas cidades chinesas do que em suas contrapartes ocidentais. Especialistas sugeriram planejar cidades compactas desde o início para alcançar um desenvolvimento urbano sustentável.

Em 2050, a ONU estima que 66% da população mundial viverá nas cidades. Um dos muitos desafios do desenvolvimento urbano é lidar com a escassez de terras. Para alcançar um progresso sustentável, pode ser útil projetar cidades compactas. Em uma entrevista recente ao CSST, os acadêmicos explicaram os prós e contras dessa estratégia.

Tony Matthews, professor da Escola de Meio Ambiente da Universidade Griffith, na Austrália, disse que a cidade compacta é um conceito de planejamento e design urbano que reduz a expansão urbana aumentando a densidade, criando diversidade e vitalidade urbana. O modelo pode envolver as seguintes características: regeneração urbana, revitalização dos centros das cidades, alta densidade, desenvolvimento de uso misto, transporte público extensivo e concentração do desenvolvimento urbano nos nós de transporte público.

Ian Mell, professor da Escola de Meio Ambiente, Educação e Desenvolvimento da Universidade de Manchester, disse que os bairros de alta densidade, parte integrante das cidades compactas, são uma faca de dois gumes. Até certo ponto, eles mudam as estruturas da vizinhança, isolando as pessoas umas das outras. A existência de uma grande quantidade de pessoas que tentam compartilhar recursos limitados aumenta os custos operacionais das comunidades e intensifica os conflitos entre os residentes.

Cidades compactas foram propostas como forma de reduzir as viagens de carro, a poluição e o uso de recursos, acrescentou Mell. Ele disse que os planejadores da cidade devem refletir sobre como as pessoas interagem com o meio ambiente e buscar maneiras de gerenciar o crescimento das áreas urbanas a longo prazo através de práticas mais sustentáveis e ecológicas.

Um exemplo de tal relacionamento é o gerenciamento do sistema de drenagem urbana. Mell disse que o excesso de chuvas e problemas de águas pluviais devido a grandes superfícies impermeáveis nas cidades exigem soluções. Drenagem sustentável, paredes e telhados verdes e mais espaços abertos e verdes devem ser integrados aos projetos urbanos como prioridades.

A teoria das cidades compactas foi desenvolvida como uma solução para a expansão suburbana nas cidades ocidentais. Os estudos relevantes concentram-se em países e regiões como os Estados Unidos, a Austrália e a Europa, mas os países em desenvolvimento, como a China, também começaram a colocar essa teoria em prática à medida que a urbanização acelera.

Matthews disse que as densidades costumam ser mais altas nas cidades chinesas do que nas ocidentais, o que torna o desenvolvimento de cidades compactas mais rápido. Mas ele acrescentou que as cidades chinesas, como todas as cidades, acharão mais fácil planejar cidades compactas a partir do zero, em vez de tentar enxertar o modelo nos espaços urbanos existentes.