CIIE: Empresas dos EUA tentam conquistar o mercado chinês

- May 13, 2019-

Conquistar parte do mercado chinês é hoje alvo de muitas empresas em todo o mundo , e a China International Import Expo é certamente a oportunidade ideal para mostrar os produtos criados pelas empresas.

Entre os países mais interessados estão certamente os Estados Unidos, que, com mais de 160 empresas, tentam conquistar visitantes do CIIE em Xangai . Os produtos apresentados pelas empresas incluem vinhos, produtos para saúde, tecnologia wearable, automação residencial, helicópteros, motores elétricos para a indústria aeroespacial e serviços globais de logística.

O CIIE é um evento que declara a confiança inabalável da China no multilateralismo

Entre as empresas mais representativas está a AECOM , uma multinacional americana que participou de uma vasta série de importantes projetos de desenvolvimento nacional na China, incluindo a construção de Belt and Road e Beijing-Tianjin-Hebei.

Sean Chiao, presidente da AECOM Ásia-Pacífico , comentando o CIIE, disse que “definitivamente desempenhará um papel inigualável na facilitação e promoção do desenvolvimento econômico da China e do mundo”.

Além disso, Stephen Badger, presidente do conselho de administração da confeitaria Mars, de Chicago , Illinois, disse: “O CIIE é uma plataforma que vai além da China. É um evento verdadeiramente global que impulsiona o desenvolvimento em todas as indústrias chinesas, promovendo a cooperação entre entidades governamentais e empresariais, bem como a globalização e a liberalização do comércio.

Empresas como a Johnson & Johnson também escolheram a feira recém-nascida para inaugurar no mercado chinês uma série de dispositivos médicos avançados

Entre os pedidos mais sentidos pelas empresas americanas, a de livre comércio . Por exemplo, para Harld Peters, presidente da UPS China, o fluxo livre de comércio é vital. Peters disse à Xinhua que “a indústria de logística do mundo se beneficia de um sistema global que facilita o comércio, só então podemos alcançar a máxima eficiência e eficácia para alcançar nossos clientes”.

Liang Ming, diretor do centro de pesquisa de comércio exterior da Academia Chinesa de Comércio Internacional e Cooperação Econômica, tranquiliza os mercados e promete maior abertura pela China. " A lista negativa da China está ficando cada vez mais curta , e temos o roteiro e o cronograma para a promoção contínua de nossa abertura", disse ele.